Imagem da Semana

Teleférico no Complexo do Alemão, Rio de Janeiro / Jorge Mario Jáuregui
Parte do projeto de articulação socio-espacial – Complexo do Alemão

 Vista aérea do Complexo
Após a polêmica operação policial no Complexo do Alemão, que ganhou destaque no mundo, começam a ser entregues as primeiras obras do PAC – Plano de Aceleração do Crescimento – para os Projetos de Desenvolvimento Socio-Espacial para os Complexos de Alemão e de Manguinhos.
O projeto, desenvolvido por Jorge Mario Jáuregui, conta com o teleférico (inaugurado essa semana), o Centro Cívico do Complexo do Alemão, o parque Metropolitano de Manguinhos e seu Centro Cívico.
Planta Geral do Projeto para o Complexo do Alemão, no contexto

 

 
Unidades de Relocalização em duplex
 
O projeto, desenvolvido por Jorge Mario Jáuregui, conta com o teleférico (inaugurado essa semana), o Centro Cívico do Complexo do Alemão, o parque Metropolitano de Manguinhos e seu Centro Cívico.

Abaixo está o escopo produzido pelo escritório:

1- Sistema de Telecabinas
O sistema de telecabinas projetado para o Complexo do Morro do Alemão se fundamenta numa concepção de articulação do sistema de transporte comunitário, na escala do Complexo, com o sistema de transporte urbano da cidade. Isto significa conceber a acessibilidade, a mobilidade e a conectividade tanto interna, quanto na sua relação com a cidade, de acordo com uma visão de transporte urbano de massa. Implica um novo tratamento para a questão do transporte público, concebido como parte do sistema urbano metropolitano que garante a conexão entre as partes componentes do Complexo ao mesmo tempo que o recoloca no contexto urbano. No relativo à mobilidade, o teleférico se incorpora como parte central do sistema de transporte que irriga toda a área de intervenção. Este sistema de teleférico atende às características demográficas e topográficas do local, oferecendo redução do tempo de viagem e sistema de mobilidade não poluente. Cada uma das seis estações do teleférico que estão sendo construidas, foi concebida como uma “Estação Social”, incluindo além dos serviços para o transporte, equipamentos públicos de interesse social tais como bibliotecas digitais (e-library), centro de apoio jurídico, posto de orientação urbanístico e social, centro de serviços e áreas para geração de trabalho e renda. Cada estação inclui o tratamento das áreas remanescentes das demolições realizadas para a implantação da estação, com espaços públicos para crianças, jovens e adultos, além de equipamentos esportivos, de lazer e o reflorestamento do local e vias de acesso.

2 – Centro Cívico
O centro cívico projetado no lugar da antiga fábrica da Poésie, abandonada há muitos anos, é outro ponto fundamental da intervenção ao se constituir numa nova poderosa centralidade, incluindo escola profissionalizante, hospital, centro de geração trabalho e renda, centro de referência da juventude e um condomínio residencial popular de qualidade.

3- Parque da Serra da Misericórdia
O Parque de escala urbana a ser implantado numa superfície de 307 ha, aproveitará o alto potencial paisagistico-ambiental do local, ocupando a área das três pedreiras. Constituirá um novo pulmão verde acessível aos moradores do Complexo e aos bairros da zona Norte da cidade, e permitirá também uma nova conexão entre Ramos e Inhaúma, facilitando a ligação entre estes dois importantes bairros da zona norte. O Parque incluirá um lago artificial, capaz de amenizar o clima da região e permitir usos recreativos e de lazer. Fazem parte do Parque equipamentos para atividades culturais e eventos públicos tais como espetáculos ao ar livre, atividades esportivas, quiosques de apoio, anfiteatro, um núcleo de pesquisa ambiental, e áreas de reflorestamento e trilhas para caminhadas.

4- Habitações para relocação de moradores
As unidades habitacionais que estão sendo construídas para relocalização de moradias demandadas pelo Plano Urbanístico, foram concebidas em função da densidade e das características topográficas do lugar e apresentam uma dupla finalidade: oferecer várias opções de utilização interna dos ambientes e a possibilidade de uso como local de moradia e de trabalho, ao mesmo tempo que garantizar de um lado o domínio público (a Fachada Urbana) e de outro possibilitar expansões a cargo de cada morador. As unidades a serem construídas serão portadoras do que poderíamos denominar de DNA urbano.

5- Vias internas
Todo o sistema de circulação interna compreendendo vias veiculares e de pedestres, bem como vielas e escadarias, será totalmente reestruturado, incorporando infra-estrutura, mobiliário urbano, iluminação pública, vegetação e sinalização. Como parte componente da urbanização projetada está prevista a melhoria de unidades residenciais existentes, incluindo renovação de telhados, acabamento de fachadas e conexão domiciliar de esgoto.

6 – Melhorias habitacionais
Consistem na recuperação das moradias existentes que apresentam deficiências habitacionais, e incluem substituição de instalações de drenagem e esgoto, renovação de cozinhas e banheiros, tratamento de telhados e rebocos, etc.

7 – Tratamento de espaços de convivência

Implica o tratamento urbanístico-paisagístico de ruas, becos e vielas, incluindo novos espaços públicos tais como praças e a urbanização de espaços residuais.

8 – Sustainable building
Toda a intervenção para o Complexo do Alemão foi concebida levando em conta os princípios de intervenção sustentável.

Mais Informações: Jorge Mario Jáuregui
Via: Inhabitat

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s