RECUPERAÇÃO URBANA DO IBA-BERLIM


 IBA 1957 no Hansaviertel

Die Innenstadt als Wohnort, ou em português, “o centro da cidade como local de moradia”. Assim aclamou a população vivendo nos antigos bairros centrais de Berlim. Isto por que com a queda do muro em 1989 e com as destruições feitas pela Segunda Guerra, muitos bairros de Berlim se encontravam degradados, e as primeiras propostas para revitalização do local tinham como intenção levar as moradias para o subúrbio e transformar a área central voltada para atividades terciarias (conceitos da arquitetura e urbanismo moderno).(CASTELLANO,2008)

Em 1978 o Senado alemão estabeleceu o IBA- Internationale Bauaustellung ou Exposição Internacional de Construção que tinha como objetivo intervenções no traçado urbano local existente, utilização da estrutura urbana tradicional onde o passado e o futuro viveriam juntos, sem mudanças significativas no sistema viário e sem construções de estruturas monumentais típicas do movimento moderno. Alem disso, a idéia de caracterizar a cidade como local de moradia também fez com que o IBA buscasse a requalificações de equipamentos urbanos e edifícios residenciais existentes – Altbau, alem da proposta de novas unidades habitacionais – Neubau. 

Em 1987 se estabeleceu a empresa IBA GmbH, que tinha como objetivo a reformulação dos bairros mais carentes, através de projetos arquitetônicos novos, revitalização de edifícios antigos e criação de novos equipamentos urbanos através de concursos de arquitetura e licitações para construções. Para tanto foram feitos estudos aonde se situaram os locais de intervenção dentro da cidade, assim o governo berlinense custeou os principais gastos operacionais, em que também participaram de menor forma, o Governo Federal e investidores públicos, semi-publicos e privados. (id.ibid.)

No caso do bairro de Kreuzberg, se utilizou a intervenção Altbau, uma vez que já existiam edifícios habitacionais que estavam totalmente degradados. Isto por que eram construções do começo do século XX e não tinha a infra-estrutura necessária para abrigar o uso habitacional, alem disso, para a manutenção do muro, os soviéticos construíram ao redor desses edifícios, grandes vias, o que degradou ainda mais a paisagem. (PEREIRA,2005)

Localização das intervenções.


Depois da queda do muro e com a presença de edifícios centrais vazios, os imigrantes começaram a ocupar tais unidades, uma vez que elas possuíam aluguéis mais barato do que outras áreas da cidade, e, ao mesmo tempo, estavam bem localizadas. Era, portanto, um bairro muito degradado, com unidades habitacionais sem qualidade, o bairro berlinense mais poluído (devido aos antigos sistemas de aquecimento a carvão) e com muitas avenidas grandes cruzando as quadras habitacionais. (id.ibid.) 

Desta maneira a intervenção Altbau se daria por etapas: a melhora nas questões essenciais como higiene e saneamento, a assistência social junto aos moradores através de financiamentos garantidos, a instalação de serviços públicos indispensáveis e fundamentais paraa reformulação e remodelamento dos bairros e a idéia de renovação a longo prazo. 

A partir desses pressupostos iniciou-se o processo de renovação. No caso de Kreuzberg, a intervenção de manutenção dos edifícios antigos era de grande necessidade, já que eles se encontravam com infiltrações, andares inteiros construídos de madeira que necessitavam de manutenção e preservação anti-pragas, unidades habitacionais sem banheiros já que eram de uso coletivo do pavimento e sistema de aquecimento precário que prejudicava a saúde dos moradores. (id.ibid.) A idéia para as reformas era de fazê-las com o menor custo possível, usando, muitas vezes, a mão-de-obra dos próprios moradores. Não se pensava somente na requalificação interna dos edifícios, mas também na fachada, para que assim melhorasse a paisagem do bairro.

Desta maneira, esta intervenção conseguiu manter 90% da população moradora depois da revitalização dos edifícios, isto por que o Governo berlinense participou e financiou parte das reformas o que diminuiu os custos e não aumentou muito o valor dos aluguéis. Alem disso, também foram reformadas as lojas do térreo, que passarama atender as demandas do “novo bairro”. 

Depois desta fase, iniciou-se a reformulação das ruas e do espaço urbano de Kreuzberg, com a intenção de trazer um fluxo mais local, voltado para os pedestres, com calcadas maiores, organização de espaços para estacionamento e ordenamento dos equipamentos públicos. Assim, esta fase acabou por plantar mais arvores, ordenar o calçamento, reordenar a comunicação visual (publica e privada), melhorando o desenho urbano do bairro. 

Projeto residencial de Wilheim Holzbauer em estruturas existentes abandonadas.
(CASTELLANO,2008,p.173)



A terceira fase de intervenção tinha como principal intenção a melhoria da qualidade de vida dos moradores, através da produção de equipamentos públicos dentro do bairro, afi m de atende-los de uma forma mais próxima e adequada. Por isso, foi verificado com a população as principais necessidades e a partir daí iniciou-se a produção: novas creches, reforma e ampliação de escolas existentes, novas associações juvenis, centros esportivos, clubes para a terceira idade, centro para mulheres e associação da vizinhança foram alguns dos equipamentos criados. 

Em suma, o bairro de Kreuzberg teve intervenção do Governo em apenas dois momentos, através do financiamento de parte das reformas dos edifícios e regulamentação e negociação entre partes interessadas para a não expulsão da população menos favorecida. Ou seja, a população não necessitou de créditos e locações sociais para permaneceram naquele local, pelo contrario, o bairro se caracterizou por moradias privadas e, através da revitalização, também trouxe uma nova população para o local o que diversifi cou ainda mais a região. 

Já o bairro de Tiergarten Sul, por exemplo, teve uma intervenção focada na construção de novas unidades habitacionais, o Neubau. Este tipo de intervenção também contava com a participação da população e com os preceitos do desenho urbano de acordo com o traçado e com a cidade existente. Neste caso foi onde ocorreu a maior participação de arquitetos internacionais, cuja participaçãode Aldo Rossi foi fundamental, já que reafirmava as questões posmodernas, mas agora não só na visão urbanística, mas também dos objetos. (CASTELLANO,2008)

O bairro de Tiergarten Sul também foi escolhido para intervenção através de muitos estudos e reuniões com arquitetos, urbanistas, jornalistas e moradores, isto por que o bairro estava parte destruído e a cidade contava com um défi cit habitacional, então clamava por novas unidades de moradia. Assim, o arquiteto austríaco Rob Krier convidou Aldo Rossi a projetar um edifício que fariam parte da quadra habitacional proposta por Rob. (id.ibid.)

A nova quadra habitacional, de formato retangular, é delimitada por 9 edifícios que se posicionam em sua periferia, criando um jardim interno a eles. São edifícios diferentes uns dos outros mas articulados urbanisticamente em relação a gabaritos, recuos e o próprio posicionamento. 

Projeto da quadra feito por Rob Krieg e edificio proposto no conjunto de Aldo Rossi em Tiergarten Sul. (CASTELLANO,2008,p.178 e 180)


O edifício de Rossi respeitou os edifícios do entorno e tem apenas 5 pavimentos com 6 unidades habitacionais diferentes por andar, alem disso, em um contraponto a arquitetura moderna, Rossi usa na fachada o tijolo, como forma de associação com a cultura construtiva berlinense e aproximação da população aos novos edifícios propostos. 

Com todas as intervenções feitas pela empresa IBA foram gastos no total de 1,8 bilhões de dólares com a construção de 3000 novas unidade habitacionais, 5500 renovações, 8 centros médicos e projetos de infra-estrutura urbana como escolas, asilos, centro de jovens, bibliotecas etc. Alem disso, esta empresa privilegiou a participação de diversos arquitetos (por volta de 3000), de todo o mundo, conhecidos ou não, através de concursos internacionais.

 
Na Interbau, Niemeyer construiu seu único prédio na Alemanha


Assim é possível perceber que, apesar das intervenções do IBA terem ocorrido há, pelo menos 20 anos, os conceitos abordados para a intervenção continuam muito contemporâneos. A idéia da participação popular na decisão acerca das mudanças urbanísticas, as idéias de usar a infra-estrutura existente e remodelação de edifícios antigos para uso habitacional em áreas com potencial são questões da cidade compacta e sustentável. Contudo, essa busca por abordar diferentes formas de pensamento acabou por gerar alguns conflitos arquitetônicos: a produção de diferentes projetos por diferentes arquitetos sem uma busca pela uniformidade acabou levando a uma rivalidade entre edifícios. Os projetos para cada áreade intervenção do IBA eram desenvolvidos sem procurar um critério comum com os outros, fazendo que em alguns momentos, acontecesse uma competitividade entre eles. Alem disso, a pluralidade do pensamento acabou por não convergir em uma ideologia cultural única para a cidade. (ESKINAZI, 2007)

Alem disso, mesmo depois da reunificação, ainda há, atualmente, realidades distintas na cidade, cuja a fragmentação e pluralidade não geraram um convergência, seja a nível cultural, políticos ou arquitetônico. Apesar da busca por uma nova forma de pensamento, acabou se formando fragmentos de diversos conceitos urbanísticos e arquitetônicos que não expressam uma unidade. 

Fonte: 

BARBEIRO, Heloisa H. Adensamento e Habitação no Centro: novas moradias para Luz. Tese de Graduação. FAUMACK: São Paulo, 2009.

Citações:


ESKINAZI, Maria O. A diversidade na IBA 1987 em Berlim: fragmentação e pluridade. In: Anais do III Seminário Projetar: Porto Alegre, 2007

CASTELLANO, Pedro S. Movimento moderno e pós-moderno: as naturezas sobrepostas de Berlim. Campinas: PUCCAMP, 2008. (Tese de mestrado.)

PEREIRA, José Eduardo B. A habitação desenha a cidade: intervenções habitacionais diversificadas na Área Central de São Paulo. São Paulo: FAUMACK, 2005 (tese de mestrado).

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s