Iniciadas as obras do Museu do Amanhã

Segundo matéria publicada pela Folha desta quarta-feira (02) foi iniciada as obras do Museu do Amanhã no Rio de Janeiro.
 
O Museu é a primeira obra do arquiteto espanhol Santiago Calatrava e se trata de um complexo de aproximadamente 12,5 mil metros quadradados, localizado no pier da Praça Mauá, nas margens da Baia de Guanabara, no Rio de Janeiro.

Veja abaixo a matéria completa:



Começaram nesta terça-feira (1) no Rio de Janeiro as obras do Museu do Amanhã, um projeto do arquiteto espanhol Santiago Calatrava dedicado à sustentabilidade e a ecologia, com o qual a prefeitura da cidade pretende revitalizar a zona portuária da cidade.

Segundo o prefeito Eduardo Paes o museu será um símbolo do Rio e o melhor representante de sua transformação.

Erguido sobre uma superfície de 15 mil metros quadrados, o edifício será inaugurado no primeiro semestre de 2014.

O museu, que foi concebido para explorar as possibilidades do amanhã em campos como a matéria, a vida e o pensamento, será um espaço para debater os efeitos da mudança climática, o crescimento e a longevidade da população e a diminuição da diversidade natural.

Com a obra orçada em R$ 215 milhões, o projeto de Calatrava inclui uma extensa área verde de 15 mil metros quadrados que inclui áreas de lazer e uma ciclovia.

Em uma estrutura simples e repartida em dois andares, o edifício contará com um andar inferior rodeado por dois tanques de água, como um espelho do edifício, que contribuirão para reduzir a temperatura do interior da construção.

No teto, serão instaladas diversas placas solares que mudarão de posição ao longo do dia e mostrarão uma silhueta em transformação ao visitante.

A construção do museu coincidirá com a Conferência sobre Desenvolvimento Sustentável Rio+20, que a cidade receberá em junho de 2012 e que abordará a necessidade de vincular o cuidado do meio ambiente ao avanço social e econômico.

O museu faz parte do projeto Porto Maravilha, um conjunto de obras urbanísticas orientadas para revitalizar os bairros da zona portuária, considerados como uma região marginalizada com construções em evidente estado de abandono.

O projeto cultural contará com o apoio financeiro da fundação Roberto Marinho e do Banco Santander, que investirá R$ 65 milhões. “O museu será um atrativo para o turismo, um marco cultural para a cidade e um orgulho para os brasileiros que permitirá que a economia de Rio cresça”, disse o presidente do Santander, Marcial Portela.


Fonte: Folha.com

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s