SECA: um problema das grandes cidades

Image

Algo que parecia tão distante, lá do sertão do nordeste, já é um problema freqüente das grandes cidades brasileiras; a SECA!

Alguns dizem que pode ser o fato das mudanças na temperatura global (emissões de gases efeito estufa e as catastróficas previsões de mudanças no cenário atual poderiam estar chegando com grande velocidade), outros culpam o fato da pouquíssima infraestrutura e investimentos feitos nos últimos anos nessas cidades (responsabilidade dos Governos dos Estados!)…

A questão é que, qualquer que seja a razão, as grandes cidades, como São Paulo, estão sofrendo cada dia mais com a falta de água e, quem mais sofre com isso são os mais pobres! Vê-se que os bairros mais ricos ainda não sentiram de fato essa questão (somente quando há discussões sobre multas e aumentos de tarifa que a SABESP quer aplicar), mas a periferia de São Paulo, por exemplo, já não recebe água encanada todos os dias, com grande racionamento. Por que isso?

O sistema Cantareira, responsável por parte do abastecimento para milhões de moradores da Grande São Paulo, registrou 9,8% de nível de água, o pior índice histórico para o reservatório. Se o sistema Cantareira atende Guarulhos (cidade da Região Metropolitana de São Paulo) e a Zona Oeste de São Paulo (zona rica da cidade) além de outras regiões, por que em algumas regiões de Guarulhos não há água todo o dia, enquanto que em Perdizes (ZO) não faltou um dia sequer?

Dados do Instituto Data Popular, divulgados na Carta Capital assinalam tais questões:

O levantamento telefônico aponta que 23% dos moradores já tiveram problema de falta de água nos últimos três meses no Estado, o que corresponde a aproximadamente 6 milhões de pessoas. Mas os mais afetados (25%) são os que ganham até um salário mínimo. Por outro lado, esse número é só de 12% quando se tratam de pessoas que ganham mais de dez salários mínimos.

 

A falta de água está afetando, principalmente, os moradores da região metropolitana. De acordo com estudo, 35% das pessoas que relataram o problema estão em cidades periféricas, ou seja, localizadas ao redor da capital paulista. Já o interior do Estado, tradicional reduto de votos do PSDB, é a região que menos sente os impactos do problema de abastecimento. Só 14% das pessoas que confirmaram não ter água em casa são de cidades que estão distantes do centro. O mesmo índice chega a 30% quando se tratam de moradores da cidade de São Paulo.

Está claro que a gestão de água nas cidades não é eficiente e não atende a todos da mesma maneira (apesar de cobrar as mesmas taxas). Isto fica ainda mais claro quando olhamos para os nossos rios e vemos que eles já não existem… Os rios sairam da vida urbana e foram trocados por asfalto! Assim, os riscos à vida humana nas cidades não estão somente estritos a deslizamentos e enchentes (irônico) mais costumeiros e que ocorrem a cada ano, a SECA já se configura outro risco!

Quem vai tomar alguma providência?

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s